Mais Lidos
Carregando...

Perguntas & Respostas: SOL e SkillSelect


As dúvidas abaixo vieram da Nilce, que comentou no post Profissão em demanda vs. Profissão exercida. Logo abaixo, está a minha resposta e um pouco mais de informações sobre o novo processo de residência permanente, sponsorship e a  SOL (Skilled Occupation List).

Nilce disse...
Boa noite Wagner,

meu marido é formado na area de TI e com algumas certificaçoes e estamos pensando seriamente em migrar pra Australia, pois meu filho ja mora ai ja faz 2 anos... enfim gostaria de saber: Curso preparatório para o EILTS ou ingles intensivo?? pois nós queremos dar entrada no visto 175, e me deparo com tanta burocracia que da vontade até de desistir... mas o sonho de viver neste pais esta mais fundo no nosso objetivo...

O que pega tbm é que no site do GOV dai a faculdade dele nao esta no SOL de legibilidade, pois é uma faculdade tecnologa, mas ele tem 16 anos na area e com experiencia comprovada... o que ele poderia fazer para dar um UP no CV dele para que fosse aceito no processo migratórioe tenho mais uma pergunta.. seria menos burucratico se ele aplicasse o visto de residencia estando na Australia,sairia mais rapido? ou isso nao interfere no processo..pois 2 amigos do meu filho que ja estao ai ja faz alguns anos viram o CV dele e disse que o caminho é o EILTS e que ele poderia fazer uma especializaçao la quando sair todo este processo que ainda colocaremos em pratica a partir de janeiro, por favor me de uma luz, pois virei amigo do Google tbm...mas sao muitas informaçoes.

Agradeço desde ja e aguardo um breve retorno.

Oi Nilce,

Se o objetivo é migrar pra cá como residente permanente ou mesmo tentar um sponsorship, um nível bom de inglês é obrigatório caso teu marido pretenda trabalhar direto na área de TI. Nesse caso, se o inglês dele já é bom, eu recomendaria o preparatório para o IELTS, poiss isso já ajuda a riscar um dos requisitos da lista.

Porém se o inglês ainda não está bom o suficiente, talvez a melhor opção para o momento mesmo um intensivo.

Sobre as profissões em demanda, realmente a lista foi cortada pra menos da metade das profissões que estavam em demanda há uns 2 anos atrás, de forma que restringiu um pouco para quem estava planejando vir.

Sobre dar um up no CV, não tem segredo, aqui é como aí no Brasil: experiência é que mais conta. Certificações também são importantes, são muito bem vistas nas áreas técnicas. Porém o item mais importante na busca de emprego por aqui é obviamente o idioma, pois se tu não consegues te comunicar numa entrevista de emprego, as chances de ser contratado já caem quase a zero.

Sobre a demora no processo, realmente não saberia dizer pois como as regras mudaram esse ano, ainda não conversei com ninguém que tenha feito o novo processo aplicando daqui. No geral, tenho a impressão que o processo está demorando a média de sempre, entre 8 e 12 meses.

Um abraço e boa sorte!

Wagner.


>> Residência Permanente, Sponsorship e SOL

No dia 1o de Julho desse ano, muitas mudanças foram feitas no programa de imigração qualificada (GSM, General Skilled Migration), o que inclui os processos do visto de residência permanente e sponsorships (também conhecidos como visto de trabalho).

Em 2008, o 136 ("Skilled – Independent (Migrant) Visa Subclass 136") foi substituído pelo 175. Apesar da mudança de nomenclatura de sub-classe do visto, os requisitos para aplicação não mudaram tão drasticamente. A maior mudança ficou por conta de uma vasta redução no número de profissiões da MODL (Migration Occupations in Demand List), que caiu de mais de 300 ocupações para em torno de 120.

Mesmo assim, as ocupações relacionadas a TI não sairam da lista. A maioria dos meus amigos brasileiros que também vieram com o visto de residente fizeram o 175 sem problemas.

As mudanças mais recentes porém estão refletindo impactos um pouco mais drásticos no processamento das novas aplicaçòes para residente permanente.

A partir de Julho deste ano, o Departamento de Imigração parou de aceitar novas aplicações para o 175 (bem como para o 176, 475 e outros vistos de sponsorhip), substituindo o programa por um novo processo chamado de SkillSelect.

Além de apertar um pouco mais nos requisitos, a mudança principal trazida pelo SkillSelect é que a antiga aplicação para residência (175 e 176) foi substituída por uma "carta de expressão interesse em imigrar" que deve ser enviada ao Departamento de Imigração.

Antes, bastava atender os requisitos e aplicar para residência online mesmo, no site da Imigração para que meses depois você recebesse o visto. Agora, o primeiro passo é o envio de uma "expression of interest", que ainda não é a aplicação em si, é apenas uma forma de notificar a Imigração que você, imigrante qualificado, quer se mudar para a Austrália e trazer suas skills junto.

Caso sua expression of interest seja aprovada, o segundo passo agora é receber da imigração um "convite" para enviar sua aplicação para residente, que aí sim inicia o processamento do seu pedido.

O principal motivo para essa mudança, segundo o Governo, é para permitir um controle maior sobre a avaliação de candidatos a imigração qualificada, pois sabe-se que muitas fraudes estavam acontecendo e o sistema em si de emissão de vistos de residência era muito frágil (vide antigos casos de hairdressers, por exemplo).

Para mais informações, acesse o site do SkillSelect: http://www.immi.gov.au/skills/skillselect/

Um abraço,
Wagner.