Mais Lidos
Carregando...

Perguntas e respostas


Outro comentário postado no texto Retorno que, apesar de não ser exatamente uma pergunta, me fez refletir e escrever (bastante) sobre o curto, porém de interessante conteúdo, comentário.
Anônimo disse...

Não no caso Austrália x Brasil.
A vida normal de alguém com visto permanente é praticamente férias :-)

Amo o Brasil e pessoas que estão lá, mas a Austrália é uma madrinha para nós. Difícil querer ir embora

12 de abril de 2011 17:38

Caro @Anônimo (que comentou em 12 de abril de 2011 17:38),

Bom, não sei se entendi exatamente ao que tu te referes na tua frase "Não no caso Austrália x Brasil"... se entendi certo, tu queres dizer que não é difícil escolher onde ficar, já que as diferenças de um país pro outro são absurdas... será que é isso? :) Se for, concordo contigo, mas acho que cada um de nós vive/vivia vidas diferente no Brasil e agora aqui na Austrália, por isso não há como generalizar e dizer que "é melhor viver na Austrália sim e ponto final".

Conheci gente aqui que só veio pra cá porque simplesmente queria fugir e esquecer da vida no Brasil por vários motivos (entre eles fuga de um relacionamento doentio, ou problemas financeiros, ameaça de morte e outros motivos absurdos). Meu caso é totalmente diferente. Eu tinha uma boa vida em Porto Alegre e realmente não tinha absolutamente nada do que me queixar. Eu nunca tive tinha motivos pra fugir do Brasil, mas sempre tive motivos para buscar algo a mais no exterior.

Sobre tua frase "A vida normal de alguém com visto permanente é praticamente férias", desculpa camarada, mas discordo 99% disso heheheh... A vida que quem tem PR ou já é cidadão aqui nada mais é do que uma vida parecida com a de qualquer profissional no Brasil. E cá está um exemplo vivo. Minha rotina em dias de semana em Porto Alegre era bem parecida com a que vivo hoje em Sydney. Trabalho na minha área, das 9h e pouco as 17h e pouco, sigo meu Mestrado (por opção, não por visto), jogo futebol 2 ou 3 vezes por semana... Enfim, a mesma rotina dos dias de semana no Brasil.

O 1% que eu concordo é que aqui, como a moeda é forte e o trabalho é mais valorizado (em outras palavras se ganha mais), é mais fácil viajar e adquirir bens... E como estamos muito perto de várias praias (moro a +/- 20 minutos de Bondi, Coogee e Maroubra), fica muito mais fácil ter uma qualidade de vida melhor (pra quem ama praia, como eu), e é mais fácil ter e promover uma vida mais saudável, afinal hábitos saudáveis e esportes como surf, jogging e atualmente o kitesurfing são muito populares por aqui, e tu acabas te motivando para começar a praticar também.

Bom, pra finalizar esse comentário (que tá tão grande que já parece um post heheheh), nessa frase sim concordo 100% contigo: "Amo o Brasil e pessoas que estão lá, mas a Austrália é uma madrinha para nós; Difícil querer ir embora". Sim, a Austrália é uma mãe pra gente, principalmente para quem tem PR ou já é cidadão, pois tu eu não sei, mas desde que cheguei fiquei maravilhado com coisas banais como o Medicare, transporte público (trens, pois sei que tem muita gente que não é fã de ônibus), os famosos clean-up days (quem nunca achou algo legal e em bom estado na frente da casa dos milionários de Mosman? hehehe), concessões em tickets, tax return, etc... Realmente não tem como negar, a Austrália é uma mãezona mesmo :)

E realmente é difícil, muito difícil querer ir embora e não voltar mais pra Australia, pois a gente sabe que as coisas não vão mudar tão cedo na nossa terrinha.

Um abraço e valeu pelo comentário!

3 de junho de 2011 15:33

Retorno I e II: perguntas e respostas


Muito obrigado aos leitores pelos comentários que recebi nos textos Retorno e Retorno II, muitos deles me fizeram refletir sobre várias coisas.

Gostei tanto dos comentários, que ao responder alguns deles, acabei me dando conta que vários deles dariam bons posts em continuação aos textos originais.

Vou postar alguns comentários e respostas aqui para poder compartilhar um pouco mais do que penso sobre algumas questões levantadas.

Segue o comentário do Rodrigo no texto Retorno e minhas respostas logo abaixo.
Rodrigo disse...

Vc nao sabe como vc inspira muita gente q esta insegura a tomar decisões serissímas quanto a vida. Eu mesmo estou disposto a ir e nao voltar, sou profissional de TI bem qualificado, e aqui no Brasil, não ha a menor condição de trabalhar com empresas tão limitadas, ainda mais no Rio. Tenho uma esposa, pretendo q ela vá depois..

Continue nos dando motivos para ir rss

O que te incomodou mais agora nessa volta ao BR e que vc nem percebia na AUS por ser algo natural e cotidiano da vida.

Se fosse possível, comentar, quais as opções legais de tirar o visto permanente na AUS. Já li dezenas de blogs e foruns e nenhum é especifico.

Te dou maior força em continuar o blog, pq ele é diferente de outros que falam sobre a AUS.

E eu leio os textos grandes tb ! rss

Abraços
Rodrigo
12 de abril de 2011 03:53

Rodrigo, entendo perfeitamente o que tu queres dizer e, infelizmente, tenho que concordar contigo.
Inicialmente, meu motivo principal em vir para vá era centrado em objetivos profissionais e de crescimento pessoal, mas com o passar do tempo e com as minhas idas ao Brasil, após ver que, entra governo e sai governo e nada muda, confesso que meus motivos hoje são mais parecidos com os teus.
Sobre a obtenção do visto, não sei se tu tens acompanhado as notícias que saem por aqui, mas já nota-se que os requisitos para imigração legal já estão mais rigorosos. Este é um ótimo assunto para um post futuro e acho que já vou falar um pouco mais sobre isso no post que estou preparando para semana que vem.
Um abraço e obrigado pelo comentário.
Wagner
20 de maio de 2011 17:11

Vou continuar postando outros comentários e minhas respostas sobre assuntos como skilled migration, empregos e o mercado de TI na Austrália, sentimentos misturados sobre viver longe de casa e outras cositas más.

Fique a vontade para postar suas dúvidas nos comentários. Vou usar a tag perguntas e respostas em posts desse tipo daqui pra frente.

Um abraço a todos.